Skip to content

Bom dia! (Alexandrismo)

Novembro 17, 2011

Sigo por uma vereda calma de manhã. Sob os pés, pequenas ansiedades que cada passo, lento e firme, vai rompendo – com um som de geada que derrete. Dos olhos, para trás, vou gotejando fealdades – talvez medos, lidos, de relance, em outros olhos – tantos… – que acordam, sempre, na noite em que adormecem; feios medos que, adiante, nos olhos, os meus, bem despertos para as belezas – tantas…… – da vereda, se evaporam. Nos braços, que se elevam, a leveza de deixar que se vá, o peso do que era, no esquecimento do que foi – e nos dedos, o toque do que é… e trago aos lábios, que se abrem em sorriso, para que entrem, livremente, com o ar e com a luz, outros sorrisos… e se cruzem, na vereda calma de manhã, estas palavras simples: Bom dia!

– © Alexandra Oliveira (OneLight*®)

(Imagem de Abril Andrade Griffith)

One Comment leave one →
  1. J. de Carvalho permalink
    Novembro 17, 2011 9:32 pm

    Anda muito longe, minha amiga .
    Espero que, feliz .
    Belo texto
    beijo
    Geraldes de Carvalho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: