Skip to content

E contudo, um dia saberemos

Dezembro 8, 2008

Quod est inferius est sicut quod est superius, et quod est superius est sicut quod est inferius, ad perpetranda miracula rei unius. Et sict omnes res fuerunt ab Uno, mediatione unius, sic omnes res natæ fuerunt ab hac una re, adaptatione. (1)

 

E contudo, um dia saberemos; talvez à pele da flor, talvez à flor da luz; talvez à luz, apenas. Com a inocência do que germina no escuro e logo abrolha; com essa tremenda simplicidade da verdade que não se cava; porque foi semeada de lanço, sobre a terra, e nada a cobriu senão a limpidez, natural e fecundadora, das águas e dos excrementos das aves, caídos do mesmo céu; e porque, no rumo do mesmo céu, natural e parida, se fará visível, talvez táctil, talvez sim, talvez não; talvez sim e não, como uma só coisa, consubstancial à sua essência. Talvez a nossa. Um dia saberemos; talvez à luz, apenas, da pele, consubstancial à flor; e à terra; e às águas; e às aves. Com a mesma inocência, ou limpidez.

 

– © Alexandra Oliveira (OneLight*®) – Todos os direitos reservados

 

(1)O que está em baixo é como o que está em cima e o que está em cima é como o que está em baixo, para realizar os milagres de uma única coisa. E assim como todas as coisas vieram do Um, assim todas as coisas são únicas, por adaptação. (Tradução para Português do texto escrito, em Latim, por Johannes Hispaniensis em “Secretum Secretorum” – texto, por sua vez, conhecido como “A Tábua de Esmeralda”, e atribuído a Hermes Trismegisto)

Outras “Deiformes sem deuses”

5 comentários leave one →
  1. José Gil permalink
    Dezembro 8, 2008 4:32 pm

    “à flor da luz”

    e o Homem onde está o que resta
    o mundo, ébrio,de repente ás vezes
    “á flor da pele” ou da “luz apenas”
    bravo

  2. Dezembro 9, 2008 10:54 am

    o que está em cima
    é como o que está em baixo

    assim dizia hermes, o três vezes grande

    e assim dizes tu, neste fantástico poema.

    um beijinho
    jorge

  3. alexandraonelight permalink*
    Dezembro 10, 2008 11:00 am

    beijos gratos a cada um dos dois.
    Alexandra

  4. Dezembro 10, 2008 12:13 pm

    Fermosísimo texto, como sempre, Alexandra.

    Muito obrigado pola tua adicatoria.

    Para quando um novo livro da poeta?

  5. alexandraonelight permalink*
    Dezembro 11, 2008 10:52 am

    Muito obrigada, Manuel. Este foi um texto que “se escreveu” com a rapidez de um relâmpago!
    Entretanto, quanto à dedicatória do “Sem querer”, o prazer foi meu; espero que muitos mais leitores desta imensa esfera da rede descubram o teu livro, fiquem com vontade de o conhecer (e a ti) melhor… e fiquem com fome de mais!
    Quanto a um próximo livro meu… não sei ainda; veremos o que o novo ano traz! :0)
    Um abraço de Aquém-Minho,
    Alexandra

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: