Skip to content

Cidade das musas

Outubro 21, 2008

Da cidade, pouco resta. Pilares de um templo, quebrados, alguns, e outros verticalmente alheios a trepadeiras que a linfa das estações tornou mais infatigáveis do que todas as deidades, ou talvez, simplesmente, libertos de fátuas solenidades arquitectónicas, e portanto mais próximos dos rebentos, logo, de diegeses imortais. Por dentro do átrio, um rio que já foi sagrado e agora flui, genuinamente santo, apenas porque dele bebem todos os animais e nele se afogam, porque assim o escolhem, todas as manchas de todas as vestes que todos os homens despem e todas as mulheres naturalmente lavam, para as estenderem em torno da pureza da sua própria nudez. As aras, são agora os leitos onde o musgo dorme e a urze acorda, se lhe bate o sol; e, se a chuva ecoa ainda alguma prece elevada a nuvens que passaram, um doce murmúrio de sede que se extingue é tudo o que dela escorre para lábios abertos, onde a palavra, por inútil, se calou, e não mais para cálices que tombaram, secos de oferendas ou memórias, nos mármores rachados do que agora é, deveras, um divino chão. E os bardos, sentados na leveza de respirarem unicamente o vento do que permanece para além da cidade que o abandono ruiu, sentem, nas ogivas fúteis de que todo o céu é, agora, tecto, encontradas e ocas antífonas, que já foram passos perdidos, quem sabe, na demanda concebível de anseios e mais luzes povoadas, em redor dos quais uma floresta densa de silêncio cheio de árvores se fechou. Da cidade, pois, quase nem o fundamento, já, da aldeia estreme que a primeira pedra de um poema gerou, como se fosse deus ou deusa, quando bastavam, por fulgor, calidez, e fé nas musas, deiformes mas terrenas, um brasido numa clareira, à noite a lua, e depois o dia, parido sempre, com estrela suprema, ou não. Consumatum est.

– © Alexandra Oliveira (OneLight*®) – Todos os direitos reservados

No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: